A VIDA EM ESPERA | Crítica