POKÉMON LET’S GO PIKACHU! & POKÉMON LET’S GO EEVEE! | Primeiras Impressões

Estes novos videojogos vão mudar a maneira como jogas Pokémon!

92
Por Bruno Dores escritor/a em SOMOSGEEKS.PT
Um fanático por Nintendo, de nome "Nintendista", que procura mostrar ao mundo o lado mágico da empresa que o acompanhou...

Recentemente o Cubo Geek foi convidado pela Nintendo Portugal a experimentar algumas das grandes novidades apresentadas na E3 de 2018! Claro que não nos passou pela cabeça desperdiçar esta oportunidade de te trazermos novidades fresquinhas sobre os videojogos que foram anunciados para a Nintendo Switch. Pois sabemos que estás tão mortinho de curiosidade quanto nós em relação a estes títulos. Assim, deixamos-te aqui as primeiras impressões de um dos videojogos que tivemos a oportunidade de testar.

Ao primeiro olhar, é inegável a maneira como o videojogo abraça as cores vivas e as feições alegres das personagens. Foi realmente um choque à primeira vista, pois uma coisa é olhares para um video no computador e outra é estares a ver ao vivo esta beleza de videojogo.

A história situa-se na região Kanto, onde habitam os Pokémon da primeira geração. Esta é baseada na famosa versão Pokémon Yellow, para os Game Boy, onde pela primeira vez podíamos ter o Pikachu a seguir o jogador. O que era algo mágico naquela altura.

  PALADINS | Crítica

Sem cá tempo para Joy-Con, quis de imediato jogar com o muito aguardado comando em formato de Pokébola, a Poké Ball Plus. O primeiro impacto que tive foi logo o tamanho, que não esperava que fosse tão pequena. Posso dizer-te que se tiveres aquela Poké Ball que veio com a edição especial de Pokémon Omega Ruby e Pokémon Alpha Saphire, então já podes ter uma ideia do tamanho da Poké Ball Plus! Porém, a sua textura não é a mesma, antes pelo contrário, é idêntica à dos botões analógicos de um Joy-Con. Mais ainda, o peso é perfeito e assenta mesmo bem na mão, assim como o botão analógico, que apesar de ser pequeno consegue surpreender.

Começando então a jogar, a aventura tem início na famosa Viridian Forest, onde mais uma vez fui surpreendido pelo ambiente soberbo e vivo que habita a floresta. Ao contrário dos outros videojogos Pokémon que já conhecias, este contém os Pokémon presentes no terreno, à vista dos teus olhos. Bem nem todos, pois alguns conseguem camuflar-se nas ervas, como por exemplo o Oddish. Com esta nova aparência, é possível observar Pokémon específicos e tanto evitá-los, como ir ao encontro deles caso queiras apanhar algum que não tenhas capturado ainda, ou por vezes é Pokémon que vem ter contigo.

  WIZARD OF LEGEND | Crítica

Ao entrar no modo “batalha”, a nova mecânica é introduzida. Se já alguma vez jogaste Pokémon GO então esta mecânica não te é estranha, pois as bases são as mesmas, ou pelo menos são idênticas. É aqui que a Poké Ball Plus toma um papel muito importante neste videojogo, servindo de simulador de uma Poké Ball real. Clicando na opção “get ready“, bastou-me replicar o famoso lançamento da Poké Ball que sempre quis fazer quando era miúdo, e a Poké Ball vai ao encontro do Pokémon selvagem, encapsulando o pobre coitado. A cada “toque” que a Poke Ball dá no videojogo, é possível sentir e ouvir na Poke Ball Plus, graças às mini colunas e ao motor vibratório. Igualmente é possível ver uma luz LED à volta do botão analógico que, uma vez que o Pokémon seja capturado, brilha da cor do seu tipo e emite o som do Pokémon em 8-bit.

Outra curiosidade com que me deparei foi o facto de que, enquanto estiveres a tentar capturar o Pokémon, ou até mesmo a dar-lhe Berrys para facilitar a sua captura, este pode fugir sem qualquer aviso. Até mesmo a meio de uma Poke Ball ser lançada! Isto mostra o quão vivas as coisas estão neste videojogo.

  PODE | Crítica

Apesar de não poder batalhar com Pokémon selvagens, nada me impediu de ser abordado pelos treinadores de Pokémon que por lá esperavam. Com uma animação bem gira de introdução do oponente, parti para a minha primeira experiência de batalha. E digo-te já que foi positiva! Trata-se do mesmo estilo de batalha que nos videojogos Pokémon que sempre conheci. Os ataques parecem ter as mesmas animações, só que mais limpas e em alta definição! Fiquei com alguma preocupação em relação à barra de vida dos Pokémon, que por algum motivo, o movimento não era fluído como nos outros videojogos. Tratando-se ainda de um demo, acredito que haverão de melhorar este ponto.

Algo que já há muito tempo desejava era o regresso dos Pokémon atrás do treinador. Isto finalmente é possível! Como nas versões Pokémon Heart Gold e Pokémon Soul Silver, é possível interagir com os Pokémon, tanto comunicando com eles como até, no caso de serem Pokémon gigantes como o Onix, montando-te em cima deles! Uma funcionalidade que irá certamente agradar muitos fãs.

Alguns pormenores que fui reparando ao jogar com o Pikachu foi a sua cauda abanar em certos locais. Isto quer dizer que estava algures por ali um item escondido. Outro pormenor é que mesmo que a minha equipa de 6 Pokémon não inclua o Pikachu, este continuará junto de mim. Isto aplica-se igualmente ao Eevee na sua versão do videojogo. Além disso o teu companheiro principal terá mais detalhes do que um Pikachu, ou Eevee, apanhados selvagens, mostrando o quão especial ele é para ti.

  POKÉMON QUEST | Crítica

Uma das coisas mais fofas que experimentei foi fazer caricias ao Pikachu e ao Eevee, dentro da Poké Ball Plus. A cada vez que agitava a bola, o som saía de maneira diferente, tentando recriar um verdadeiro Pokémon vivo! Infelizmente o Pikachu e o Eevee são os únicos Pokémon que têm uma biblioteca de sons extensa, limitando todos os outros Pokémon a um único som, em 8-bit.

Tocando nas músicas, reparei que optaram por seguir músicas originais com um toque mais orquestral que fica mesmo bom. Mal posso esperar por ouvir algumas músicas que me marcaram na primeira geração como a Lavander Town e do Team Rocket.

Após ter terminado a demo, no qual ficou limitado à foresta, um dos responsáveis realizou uma pequena demonstração da cidade que estaria logo a seguir à Viridian Forest, a Pewter City. Uma das coisas que me chamou bem à atenção foi o ginásio, qual está ligeiramente diferente, com público nas bancadas a observar. Mais ainda, neste primeiro ginásio, só seria permitido entrar caso o treinador tivesse consigo um Pokémon do tipo erva ou água. Isto de modo a facilitar a batalha contra os Pokémon do tipo pedra, que são os utilizados pelos membros deste ginásio e do seu líder, Brock. Ainda que muito desejasse ver a batalha contra o Brock, a apresentação deu-se por terminada antes da batalha começar. Isto por motivos confidenciais e com certeza não queriam revelar algum segredo que possivelmente estivesse lá.

Em suma, adorei experimentar este videojogo, ainda que fosse só um demo, consigo prever que haverão muitas surpresas a acompanhar as próximas novidades deste videojogo que promete surpreender os mais curiosos e cépticos!

Pokémon Let’s Go Pikachu! e Pokémon Let’s Go Eeve! tem data de lançamento marcada para 16 de Novembro em exclusivo para a Nintendo Switch.

O que achas que poderá ser revelado num próximo trailer?

0
ADOROADORO
0
OMGOMG
0
VOMITEI-ME TODOVOMITEI-ME TODO
0
YayYay
0
TRISTETRISTE
0
MEHMEH
0
IRRITADOIRRITADO
Voted Thanks!
AVISO LEGAL: A opinião expressa neste artigo é da única responsabilidade do seu autor e não representa a do Grupo Cubo Geek. Este artigo foi publicado de forma voluntária usando a plataforma Somos Geeks.
COMENTÁRIOS
Este espaço é disponibilizado para comentários sobre o tema apresentado nesta publicação. Respeita a opinião dos outros e mantém a discussão saudável.
Os comentários são moderados de acordo com as Regras da Comunidade.