“Warning Shot”

Se as promos apontavam para um regresso de Nas mais para o lado negro, tudo não passou de uma jogada de marketing, visto que a personagem nada de mal faz para prejudicar os protagonistas durante todo o episódio. No entanto, foi bom ver Nas de novo, e ela trouxe notícias interessantes: foi Hank que criou a Sandstorm originalmente.

Esta revelação conecta assim Hank aos eventos da temporada anterior, e dá luz aos verdadeiros objectivos de Hank e o que ele planeia fazer a seguir. Para além disto, e agora que Nas está na CIA, descobrimos um projecto de nome Dragonfly, o qual aparentemente Tasha também conhece, mas que decide manter escondido dos seus colegas do FBI. Olhando para as possibilidades, ou é algo que permite vigiar tudo e todos a tempo inteiro para evitar ataques terroristas antes de acontecerem, ou sinceramente nem estou a ver o que possa ser mais. Claro que isso ameaça a liberdade como a conhecemos, e deverá ser por isso que a CIA quer manter o seu projecto escondido do FBI por agora.

Entretanto, visto que Roman não pode ir assassinar os protagonistas um a um, tem de lhe ser dado outro enredo para o manter entretido. E nada melhor do que ter Blake a ser raptada. Porque quem não quer ver Roman a matar um monte de criminosos ranhosos e a limpar caminho até chegar a Blake? Desta forma, a personagem também sobe na confiança de Hank. É um dois em um.

Falando em enredos secundários, também é falado pela primeira vez que Meg, a namorada de Reade, está ilegal nos Estados Unidos. Porque como é óbvio hoje em dia não pode haver uma série que não trate os temas de emigração ilegal ou racismo ou algo assim. São os temas do mundo atual, e do nosso dia-a-dia, e cada vez mais presentes também nos materiais de entretenimento que consumimos nos nossos tempos livres.

No início do episódio, houve algo que achei bastante estranho. Avery avisou Weller de que tinha mais pistas para ele, mas afinal apenas queria desculpar-se e Jane ficou triste por a filha não recorrer a ela para falar destas coisas. Isto tudo virou um enredo secundário no episódio que termina com Jane a convidar Avery para um café e vemos as duas a conviverem um pouco. No entanto, não deixo de ficar com a situação de que Weller escondeu algo a Jane. O caso da semana foi trivial, entreteve e trouxe uma cara familiar do passado. Nada que mereça ser referido aqui com grande destaque no entanto.

Achas que Jane e Avery vão entender-se?